quarta-feira, 29 de março de 2017

QUEBRANDO AS CORRENTES


Quantas vezes, apegados ao sofrimento que nos consome permanecemos aprisionados àquilo que achamos que será a razão do fim de nossa dor?
Quantas vezes, fazemos questão de manter as correntes bem firmes e nos prendemos a alguém que já não nos ama mais apenas pelo fato de que nós a amamos?
Quantas vezes, perdoamos e relevamos tantas humilhações em prol de um sentimento que já ficou no passado?
Quantas vezes, imploramos por migalhas de um amor falido para tentar suprir o vazio de nossa alma?
Se pararmos para olhar bem lá no fundo de nós mesmos, veremos que a alma nos implora por um basta como um pedido de socorro e somos os únicos responsáveis por libertá-la do cárcere privado do amor que passou a existir exclusivamente em nossa mente.
Feliz será aquele que tiver a coragem e o amor próprio, de enfim, quebrar estas correntes, porque permitirá o voo livre de uma alma que seguirá em busca da felicidade.
A alma que é livre agirá por si só com a leveza que se faz necessária para proporcionar a paz.
A alma que é livre seguirá por novos caminhos sem medo do que encontrará pela frente.
A alma que é livre experimentará novos sabores e novas sensações sem carregar o peso da culpa.
A alma que é livre será capaz de encontrar seu próprio destino e te levará exatamente para os braços da metade que lhe espera.

'Dani' M.

terça-feira, 21 de março de 2017

Reflexão da noite


O ser humano tem o péssimo defeito de achar que pode deixar tudo para depois.
Deixa, assim, as palavras, os gestos e as decisões.
Deixa também beijos, abraços e recordações.
Coloca a reconciliação de lado diante da sua petulância e assassina o amor.
O tempo, porém, além de passageiro é certeiro e coloca tudo no seu devido lugar com êxito.
Trabalha lentamente para colocar seus planos em ação.
Escuta com atenção as preces daquele que é deixado de lado em meio às desilusões.
Então, com maestria, dá sua cartada final e vira o jogo.
Porque o tempo é sábio e controlado unicamente pelo dono de todos os minutos.
Aquele que assiste cada fase do jogo da vida e conhece as intenções mais profundas de seus jogadores.
Quem joga pensando em si mesmo e é capaz de rejeitar um amor, de acordo com o tempo e as leis da vida, merece terminar sozinho.

'Dani' M.